EMPREGO E DESEMPREGO: Vestuário pesa no balanço de dezembro

Setor foi o que mais demitiu e menos repôs no período; outras atividades também contribuíram negativamente.

O setor de vestuário teve forte influência no balanço entre as contratações formais e os desligamentos realizados em Cambé no mês de dezembro. Segundo o Cadastral Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, no período foram admitidos no município 470 trabalhadores e demitidos 715, com o saldo negativo de 245 postos de trabalho fechados.

Desse total, o setor de vestuário participou com 75 postos de trabalho fechados. Foram apenas seis costureiros de confecções em séria contratados e 63 demitidos; cinco ajudantes de confecção contratados e 17 demitidos, e outros seis operadores de máquinas de costura de acabamento desligados contra nenhuma reposição. Há outros 15 postos de trabalho fechados em área afim: foram demitidos 17 profissionais revisores de tecidos acabados contra apenas duas admissões.

Diferente do que ocorreu no período ao alimentador de linha de produção, com a admissão de 88 trabalhadores e a demissão de 33, saldo positivo de 55. O montador de estruturas metálicas também respirou aliviado em dezembro. Foram 21 contratações contra três demissões.

O saldo negativo foi significativamente reforçado pelo desempenho em dezembro das atividades de auxiliar de escritório, em geral, com 10 admissões e 28 demissões; pedreiro, com nove admissões e 24 demissões; servente de obras com sete admissões e 28 demissões; atendente de lanchonete com três admissões e 13 desligamentos, e confeiteiro com 19 demissões contra nenhuma contratação.

Na microrregião, dezembro fechou com 4.997 admissões contra 7.134 demissões, com saldo negativo de 2.137 postos de trabalho fechados. No Paraná as contratações fecharam em 64.710 contra 89.713 desligamentos, com saldo negativo de 25.003. O Brasil também viu crescer o número de postos de trabalho fechados no mês de dezembro: foram 910.586 contratações no período contra 1.239.125 demissões. O saldo negativo foi de 328.539 postos de trabalho fechados.

Construção civil: pedreiro, com nove admissões e 24 demissões; servente de obras com sete admissões e 28 demissões.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: